Ex-autarca de Baião ministro da Administração Interna

José Luís Carneiro é o novo ministro da Administração Interna. O ex-autarca de Baião tem a difícil tarefa de substituir Eduardo Cabrita, o ex-ministro que mais dores de cabeça deu a António Costa e afectou a imagem pública do Governo anterior.

Um executivo mais curto que o anterior e provavelmente mais eficaz, a avaliar pela escolha de Costa e Silva para a pasta da Economia – um sinal político de que se trata de um Governo mais ao centro agora que a maioria absoluta liberta o PS do garrote a que estava amarrado e que lhe era feito pela dependência parlamentar do BE e PCP.

Um governo baseado em maioria absoluta e deu antes da tomada de posse um sinal a Marcelo Rebelo do Sousa, presidente da República que soube do elenco governativo ao mesmo tempo que os órgãos de comunicações.

Um acto que marca a independência do Governo em matéria de comunicação, até agora liderada pelo palácio de Belém.

O novo Governo

Liderado por António Costa o novo governo aumenta de oito para nove o número de mulheres, serão seis os ministros que se mantêm e há seis novas caras. Confirmam-se as entradas de Ana Catarina Mendes, Fernando Medina (Finanças) e António Costa e Silva (Economia) e a continuidade de Marta Temido (Saúde), Pedro Nuno Santos (Infraestruturas), Ana Mendes Godinho (Trabalho), Ana Abrunhosa (Coesão Territorial) e Maria do Céu Antunes (Agricultura).

De saída do Governo estão, como já era conhecido, Francisca Van Dunem (MAI e Justiça), Pedro Siza Vieira (Economia), Tiago Brandão Rodrigues (Educação), Graça Fonseca (Cultura), Augusto Santos Silva (Negócios Estrangeiros), João Leão (Finanças), Ricardo Serrão Santos (Mar), João Pedro Matos Fernandes (Ambiente) e Manuel Heitor (Ensino Superior).

Destaque também para João Gomes Cravinho que troca a pasta da Defesa pela dos Negócios Estrangeiros, para Duarte Cordeiro que sobe de Secretário de Estado dos Assuntos Parlamentares para ministro do Ambiente e Ação Climática, para André Moz Caldas que sobe de Secretário de Estado da Presidência do Conselho de Ministros para ministro da Cultura, para João Costa que sobe de Secretário de Estado Adjunto e da Educação para ministro da Educação, e para Catarina Sarmento e Castro que troca a Secretária de Estado de Recursos Humanos pelo pasta da Justiça.

Neste novo Governo, a ministra Mariana Vieira da Silva ganha ainda mais relevância, apresentando-se como o número dois, até porque António Costa deixa neste novo elenco governativo de ter ministros de Estado – no atual Executivo tem quatro.

 

Logo

Nascemos porque acreditamos que a Regionalização é uma prioridade política nacional capaz de criar novos dinamismos sociais e económicos para construir uma sociedade mais justa e próspera.

Politicamente inconvenientes precisamos que seja nosso aliado na defesa da região Norte para enfrentarmos os desafios de sempre. Sem medo, com a independência que nos é oferecida pelos nossos leitores de quem dependemos ao produzir diariamente os conteúdos noticiosos que editamos.

Esteja connosco nesta luta comum. ASSINE AQUI. Obrigado

PHP Code Snippets Powered By : XYZScripts.com