Escravatura na Construção – Ainda hoje ?

A falta de mão de obra na construção está a impedir o avanço em muitas obras públicas e privadas. Face a esta escassez são originadas “situações de trabalho precário, clandestino e à criação de redes de angariadores”, informa o Sindicato da Construção de Portugal.
A chegada a Portugal de operários não qualificados deve-se a angariadores com ramificações em vários países da União Europeia, “Um trabalhador estrangeiro é contratado para receber 800 euros e só recebe 400 euros. O restante vai para os angariadores”, avança Albano Ribeiro, presidente do Sindicato da Construção de Portugal.

Alerta também para a indiferença dos Ministérios das Infraestruturas e do Trabalho, “estão de olhos fechados para esta situação dos angariadores que exploram até à medula estes trabalhadores”, sobretudo estrangeiros que chegam ao país através de redes ilegais e que recebem metade do salário e em alguns casos não recebem nada.

Logo

Nascemos porque acreditamos que a Regionalização é uma prioridade política nacional capaz de criar novos dinamismos sociais e económicos para construir uma sociedade mais justa e próspera.

Politicamente inconvenientes precisamos que seja nosso aliado na defesa da região Norte para enfrentarmos os desafios de sempre. Sem medo, com a independência que nos é oferecida pelos nossos leitores de quem dependemos ao produzir diariamente os conteúdos noticiosos que editamos.

Esteja connosco nesta luta comum. ASSINE AQUI. Obrigado

PHP Code Snippets Powered By : XYZScripts.com