Fortes de Valença vão ser classificados

Valença quer ver classificados das seis fortificações abaluartadas em terra da época das Guerras da Restauração, existentes no concelho, como Imóveis de Interesse Municipal (IIM).

Decorre, de momento o levantamento e preparação do dossier, com vista à classificação, do Forte de S. Jorge na freguesia da Silva, do Forte de São Luiz Gonzaga, em São Pedro da Torre, do Forte de Belém, em Arão, dos Forte do Tuído e de São Francisco ou Balagota, em Gandra e do Forte da Gingleta em Verdoejo.

Estes fortins térreos estavam integrados no sistema fortificado da linha de defesa do rio Minho, na fronteira Portugal/Espanha, constituindo pontos avançados de defesa e ataque à Fortaleza de Valença.

Com a classificação destes Bens pretende-se, sobretudo, proteger, valorizar e salvaguardar estas estruturas militares, as quais nos remetem para a consolidação e defesa da fronteira de Portugal, considerada uma das mais estáveis e antigas dos mundo.

A implementação deste projeto por parte do Município de Valença conta com o financiamento do programa Touring Cultural| Identidade Cultural do Minho, através do Norte 2020 / Cim Alto Minho.

Logo

Nascemos porque acreditamos que a Regionalização é uma prioridade política nacional capaz de criar novos dinamismos sociais e económicos para construir uma sociedade mais justa e próspera.

Politicamente inconvenientes precisamos que seja nosso aliado na defesa da região Norte para enfrentarmos os desafios de sempre. Sem medo, com a independência que nos é oferecida pelos nossos leitores de quem dependemos ao produzir diariamente os conteúdos noticiosos que editamos.

Esteja connosco nesta luta comum. ASSINE AQUI. Obrigado

PHP Code Snippets Powered By : XYZScripts.com