Autoestrada galega AP-9 com aumento de 10% nas portagens em Janeiro

Autoestrada galega AP-9 com aumento de 10% nas portagens em Janeiro – O governo galego está alinhado com os partidos da oposição e ambos contestam o anunciado aumento das portagens em cerca de 10% na autoestrada AP-9. Contesta a “decisão política” do governo de Madrid que aceita que a concessionária se “aproveite da crise” para aumentar as receitas.

Afonso Rueda, presidente da Xunta considerou que o aumento acontece “no pior momento” na vida dos galegos e que estes precisam de ser ajudados precisamente “agora”.

José Crespo (PP), qualificou de “insuportável” a atualização de preços numa autoestrada “que é proibitiva mas vai ser ainda mais”, pedindo assim um bónus para a única infraestrutura deste tipo sem desconto.

Por outro lado, o socialista Manuel Cuíña, de Silleda, falou de um boicote ao uso desta rodovia: “O que todos devemos fazer é parar de usá-lo”

Pontoon: “É um absurdo e uma indecência”

A porta-voz nacional do BNG manifestou também o seu acusando a Audasa de ter benefícios “milionários” com a concessão  considerando que o  Ministério dos Transportes não deve aceitar este aumento das portagens, o que significaria “ um novo golpe nas economias familiares”.

O delegado do Governo na Galiza, José Miñones, abriu esta manhã a possibilidade de o Executivo compensar este aumento tal como o faz com descontos para utilizadores regulares. 

Fegamp: pede “solução para a confusão

O prefeito de Vilagarcía e presidente da Fegamp, Alberto Varela, também censurou os governos anteriores do PP por “cometer o erro repetido de estender a concessão, primeiro com Aznar e logo com Rajoy “, embora não tenha sido na sua legislatura quando estendida apenas na final de Felipe González, quando Audasa ainda era público. Se não fosse por isso, a autoestrada estaria “ livre de portagens ou de tudo o que se vê ”. Valorizou os bónus que o Executivo aplicou desde o verão passado, mas avisa que “pode ir para onde for”. “Penso que é tempo de abrir um debate sério, profundo e, sobretudo, rigoroso sobre o futuro de um caminho fundamental para o desenvolvimento da Galiza” , afirmou, pedindo também para encontrar «Uma solução para esta confusão».

Prefeitos das grandes cidades

As grandes cidades galegas por onde passa a auto-estrada são regidas, excepto Pontevedra (BNG), pelo PSOE. Os vereadores de Ferrol e Santiago concordam que o Executivo deve estender os bónus que já aplica para aliviar os efeitos da inflação.

« Obviamente, é um aumento muito alto. Espero que se encontre uma fórmula “, disse o prefeito de Santiago, Xosé Sánchez Bugallo, que aludiu à isenção nas demais rodovias do mesmo período no restante do Estado e que, assim como em Ferrol o seu homólogo Ángel Mato , concordou com as prorrogações da concessão. “O aumento das portagens nunca é uma boa notícia, mas o seu alcance depende também de políticas de compensação dos utentes”, evidenciou.

Na Corunha, entretanto,  Inés Rey considerou “lamentável que nas actuais circunstâncias a empresa concessionária aplique um aumento tão excessivo da portagem. É um atentado à economia“- disse, além de defender que a AP-9 deve “ser gratuita”.

Nos arredores de Vigo, a nacionalista Leticia Santos, de Moaña, considera que a via deveria ser pública, enquanto a autarca de Mos, Nidia Arévalo (PP) lamenta que se esteja a “andar para trás”. O também popular Alejandro Lorenzo (O Porriño) acredita que “os mais afetados são os habitantes do campo, os que mais precisam de se deslocar para ir trabalhar”.

Autoestrada galega AP-9 com aumento de 10% nas portagens em Janeiro