Um português Campeão

Os campeões fazem falta a todas as nações, e são mais importantes quando nascem numa pequena e pobre, como a nossa. Este campeão, talhado na pobreza e no medo do desespero, que o céu da Madeira lhe destinava, agarrou o futuro e decidiu que venceria. Venceu e é o maior, em todo o mundo. E é português, experimenta por isso a inveja de muitos que não têm alma suficiente para compreender a sua grandeza.

 

Depois do jogo de ontem, em Budapeste, frente à França, é este o ranking de Cristiano Ronaldo no panorama do futebol mundial:

  • Ronaldo igualou Ali Daei como o melhor marcador de sempre de seleções com 109 golos;
  • Ronaldo passou a ter esses 109 golos distribuídos por 44 seleções diferentes, sendo que antes da França também nunca tinha marcado à Alemanha e quebrou também essa barreira (se juntarmos todos os adversários entre equipas nacionais e clubes já fez golos a 162 adversários que encontrou pela frente);
  • Ronaldo isolou-se na liderança dos melhores marcadores da presente edição do Europeu com cinco golos e uma assistência apenas em 270 minutos de três encontros tendo pela frente Hungria, Alemanha e França (com a curiosidade de ter transformado os três penáltis num Europeu com mais castigos máximos falhados do que convertidos até ao momento, como voltou a acontecer no encontro da Espanha com a Eslováquia)
  • Ronaldo tornou-se também de forma isolada o jogador com mais golos em fases finais de Europeus e Mundiais (21, com 13 em Europeus e oito em Mundiais), superando o alemão Miroslav Klose (19).

Antes, desde que começou o Campeonato da Europa, o avançado já tinha alcançado outros recordes ligados ao Campeonato da Europa, alguns deles que só poderão ser batidos daqui a uma década e meia.

  • Ronaldo tornou-se o primeiro jogador de sempre a participar e marcar em cinco edições do Campeonato da Europa, a primeira das quais na prova organizada por Portugal, em 2004, quando tinha apenas 19 anos;
  • Ronaldo ultrapassou os jogos realizados em fases finais de grandes competições (41, entre Europeu e Mundial) de Bastian Schweinsteiger, ex-médio da Alemanha, juntando os 24 jogos em cinco Europeus aos 17 encontros entre os Mundiais de 2006 (Alemanha), 2010 (África do Sul), 2014 (Brasil) e 2018 (Rússia);
  • Ronaldo tornou-se o melhor marcador de sempre em fases finais de Europeus, superando os nove golos de Michel Platini numa só edição, no fatídico ano (pelo menos para as cores nacionais) de 1984: marcou dois em 2004, um em 2008, três em 2012, três em 2016 e mais cinco em 2020 – e ainda pode melhorar os 13;
  • Ronaldo passou a ser o jogador com mais vitórias em jogos da fase final do Campeonato da Europa (12), superando os 11 triunfos que tinha conseguidos antes pelos espanhóis Cesc Fàbregas e Andrés Iniesta;
  • Ronaldo já tinha bisado à Hungria em 2016, tinha bisado em 2012 diante da Holanda e voltou a marcar dois golos no mesmo encontro frente à formação magiar, passando assim a ser o primeiro na história de fases finais de Europeus a bisar em três edições, superando Gerd Müller (1972), Michel Platini (1984), Rudi Völler (1984 e 1988), Wayne Rooney (2004) e Antoine Griezmann (2016);
  • Ronaldo conseguiu também tornar-se o primeiro jogador europeu com dois ou mais golos em pelo menos quatro fases finais do Europeu, ultrapassando o registo do sueco Zlatan Ibahimovic (2004, 2008 e 2012) com dois golos em 2004, três golos em 2012, três golos em 2016 e agora cinco golos (pelo menos) em 2020.

E ainda antes desta fase final do Campeonato da Europa, onde chegou com 36 anos, Ronaldo já tinha batido outros registos históricos não só no futebol europeu, onde representou após o Sporting o Manchester United, o Real Madrid, a Juventus e a Seleção, mas também a nível global, em torno do número de golos e não só.

  • Ronaldo tornou-se o jogador que mais vezes representou Portugal, levando nesta altura um total de 178 internacionalizações pela Seleção A (a que se juntam todas as outras que teve a partir dos Sub-15);
  • Ronaldo passou a ser o primeiro jogador português a marcar presença em nove fases finais de grandes competições entre Europeus e Mundiais, tendo marcado pelo menos um golo em todas as competições;
  • Ronaldo foi o capitão das duas equipas de Portugal que conseguiram ganhar títulos na Seleção A: o Campeonato da Europa de 2016, em França, e a Liga das Nações de 2019, em Portugal;
  • Ronaldo tornou-se o primeiro jogador português a ganhar mais do que uma Bola de Ouro (registo que tinham Eusébio e Luís Figo), levando nesta fase cinco nos anos de 2008, 2013, 2014, 2016 e 2017;
  • Ronaldo passou a ser o jogador com mais golos de sempre entre clubes e Seleção em termos oficiais, passando o legado do antigo goleador brasileiro Pelé e levando nesta altura um total de 783 golos;
  • Ronaldo foi o primeiro jogador a marcar mais de 100 golos na Liga dos Campeões, sendo nesta altura o melhor marcador de sempre da principal competição europeia de clubes com 134 golos;
  • Ronaldo tornou-se o primeiro jogador de sempre a ganhar Campeonato, Taça, Supertaça e título de melhor marcador (Liga dos Campeões só não conseguiu no atual clube) com pelo menos 100 golos em cada em três países diferentes: Inglaterra (Manchester United), Espanha (Real Madrid) e Itália (Juventus);
  • Ronaldo conseguiu chegar a melhor marcador do Real Madrid, com um total de 451 golos em jogos oficiais ao longo de nove temporadas no Santiago Bernabéu onde ganhou um total de 16 títulos.

 Os ciúmes que Ronaldo provoca

Sendo um campeão indiscutível a merecer o reconhecimento de todos pelo mérito (só dele) nas conquistas que constrói, não deixa de ser estranho a frequência e facilidade com que se critica o jogador e o homem. Onde reside e o que justifica esta morbosidade dos portugueses denegrirem o que de melhor têm, e de que Ronaldo é apenas exemplo? Será apenas porque não estamos habituados à grandeza das grandes nações, cabendo-nos apenas viver da memória dos nossos grandes antepassados – e mesmo esses agora agredidos pelos revisionistas da história?

Saber gostar do que é nosso (na medida em que é!) e celebrar a alegria das conquistas dos recordes de Ronaldo apenas provaria que somos um país contente por ele. E ele merece de todos esse reconhecimento.

***

Fonte: Recordes de Ronaldo

Ronaldo esteve 18 anos para lá chegar, bateu 18 recordes e atingiu a maioridade: é o melhor marcador de sempre de seleções

 

Logo

Nascemos porque acreditamos que a Regionalização é uma prioridade política nacional capaz de criar novos dinamismos sociais e económicos para construir uma sociedade mais justa e próspera.

Politicamente inconvenientes precisamos que seja nosso aliado na defesa da região Norte para enfrentarmos os desafios de sempre. Sem medo, com a independência que nos é oferecida pelos nossos leitores de quem dependemos ao produzir diariamente os conteúdos noticiosos que editamos.

Esteja connosco nesta luta comum. ASSINE AQUI. Obrigado

PHP Code Snippets Powered By : XYZScripts.com