O “Patinho Feio” a dar o título ao Dragão

No passado sábado, os “Dragões” conquistaram o título de Campeão Nacional, no Estádio da Luz, vencendo o Benfica por 1-0, com golo tardio de Zaidu. 

A meu ver, é um trabalho notável dos azuis e brancos, o FC Porto conquistou assim o 30º Campeonato Nacional da sua história, na casa do seu eterno rival. O clube da invicta foi campeão a uma jornada do fim, com 28 vitórias, 4 empates e, apenas 1 derrota, somando 88 pontos (sendo que poderá chegar aos 91 pontos devido ao jogo que ainda falta realizar). Para além disto, o FC Porto bateu o recorde de invencibilidade em jogos a contar para o campeonato português (em conjunto com a época passada), foram 58 jogos (44 vitórias e 11 empates) sem perder na Primeira Liga. Para termos noção da dificuldade deste recorde, a nível europeu, esta série de resultados dos azuis e brancos, fica apenas atrás da série invencível do Steaua Bucareste (Roménia), que esteve 104 jogos sem perder na liga romena. 

Esta época dos “Dragões” explica-se por três palavras, união, competência e consistência. 

A competência neste título está no trabalho incrível de Sérgio Conceição e da sua equipa técnica. Em 5 épocas de Sérgio Conceição são 3 Campeonatos Nacionais, 1 Taça de Portugal e 2 Supertaças e, nesta época é, na minha opinião, a equipa de Conceição que melhor jogou futebol, isto analisando o seu trabalho no FC Porto. Sérgio Conceição é um treinador com um perfil forte, em que os seus jogadores têm de morrer pelo clube que estão a defender, por exemplo, um extremo tem de correr para atacar como para defender com a mesma velocidade. Este FC Porto a jogar em 4-4-2 com uma intensidade fortíssima em todos os jogos, algo característico de Conceição, sempre a encostar os adversários atrás e, defensivamente, a ser muito rápido a reagir à perda, foi algo incrível de se ver. Os pupilos de Conceição tiveram uma fase na época que se tornaram imbatíveis, qualquer equipa era dominada pelo Porto, por competência do grande trabalho técnico, tático e de treino de Conceição. O FC Porto perdeu três peças fundamentais no inverno, Sérgio Oliveira, Tecatito e Luís Diaz (que na altura era o melhor marcador do campeonato) e, ainda assim, não perdeu rendimento. Com as entradas de jogadores da formação como, Vitinha, Fábio Vieira e João Mário, a somar aos jogadores com menos minutos e transformados defensivamente, como Evanilson e Pepê, o Porto chegou ao título, apesar das saídas e sem perder nível exibicional. Sérgio Conceição, antigo jogador do Porto, sente o clube como ninguém e isso vê-se na competência e garra do seu trabalho.

O Porto sempre foi uma equipa com muita união, não só entre si, como com os adeptos, o que é algo inexplicável. A atmosfera nos jogos no Estádio do Dragão mas, também nos jogos fora de casa, deixa as equipas que jogam contra o Porto nervosas. Os adeptos alavancam a equipa para a frente, e isso é algo dificílimo de conseguir, pôr todo um clube a remar para o mesmo lado, isso acontecendo fica tudo mais fácil.

A qualidade exibicional desta equipa foi muito consistente durante a época, tirando estes últimos três jogos para o campeonato, em que se sentiu algum nervosismo e displicência por parte dos jogadores do Porto para fechar o título. O recorde de invencibilidade e o facto de ser campeão quase invicto vêm da consistência do plantel dos “Dragões”, qualquer jogador que entrasse para dentro das 4 linhas, mesmo tendo poucos minutos, tinha rendimento, e isso leva a que a equipa não falhe e não facilite.

No meio de tudo o de bom da época dos “Dragões”, o jogador que cela o título foi o “Patinho Feio”, Zaidu. O lateral nigeriano foi sempre dos jogadores mais criticados pelos adeptos, por causa da sua falta de qualidade e rendimento, críticas merecidas, a meu ver, porque Zaidu estava a ser mesmo dos piores jogadores da equipa desde que assinou pelo clube. Nesta época, o nigeriano começou praticamente da mesma forma mas, pouco a pouco foi evoluindo e, a partir de janeiro, subiu imenso de rendimento. O futebol tem destas coisas, no momento certo, lá apareceu o “Patinho Feio”, para selar o título, marcar o seu nome na história do clube e, no coração dos adeptos azuis e brancos.

Foi uma época praticamente perfeita do FC Porto, que ainda pode conquistar ainda a Taça de Portugal, no próximo dia 22 de maio e, a Supertaça (pois é um título relativo à época anterior) em agosto. Para a nação Porto é um título com sabor especial, por ter sido ganho no estádio do seu maior rival. E deixo a questão no ar, o que poderá fazer o FC Porto para a próxima época?

 Por David Carvalho

_______________________________

Imagem Zaidu in https://twitter.com/fcporto/status/1300140524242964482?lang=zh-Hant

e instagram FCPorto

__________________________________________________________________

 

 

Logo

Nascemos porque acreditamos que a Regionalização é uma prioridade política nacional capaz de criar novos dinamismos sociais e económicos para construir uma sociedade mais justa e próspera.

Politicamente inconvenientes precisamos que seja nosso aliado na defesa da região Norte para enfrentarmos os desafios de sempre. Sem medo, com a independência que nos é oferecida pelos nossos leitores de quem dependemos ao produzir diariamente os conteúdos noticiosos que editamos.

Esteja connosco nesta luta comum. ASSINE AQUI. Obrigado

PHP Code Snippets Powered By : XYZScripts.com